Leipzig: nova okupação EWI

leipzig_ewiAs Casas para aqueles que precisam!

Há alguns meses vivemos como centenas de milhares de pessoas que atravessam as fronteiras européias. Milhares já morreraram só esse ano no caminho. Sem rotas de fuga legais e uma mudança profunda para o combate contra as causas de fuga, as pessoas vão continuar arriscando suas vidas na tentativa de uma vida humanamente digna. Dez milhares começaram a ajudar e apoiar os refugiados no caminho ou na chegada deles. Ao mesmo tempo um dos países mais ricos do mundo constrói cidades de tendas e vilas de container. Assim foi criada uma situaçao de ermegênçia artificial. 
Quem gera uma situaçao dessas contribui ativamente para a desumanizaçao dos refugiados e prepara um solo fértil para os incendiarios/as de Direita. Contra às pessoas que falam sobre “A crise do asilo“ e “A exigência excessiva do estado“, nós, que apoiamos os refugiados, queremos mostrar o quê significa agir solidariamente.

Ouvimos que em muitos alojamentos faltam coisas básicas como alimentaçao ou assistência médica. Uma vida com dignidade nessa situaçao não é possível. Essas pessoas passam o tempo deles nos “Lagers“, isolados do resto da populaçao, sem a oportunidade de aprender o idioma local e trabalhar e de fazer o que eles querem. A situação nesses alojamentos causa um efeito desastroso na saúde e na condiçao psicológica desses refugiados. É assim também em Leipzig. 
É um escandalo que haja 22 000 apartamentos vazios. Se o municipio queria realizar as exigencias deles os refugiados podiam decidir por si próprios em quais apartamentos eles gostariam de viver. Isso não só seria mais barato mas também protegeria os refugiados contra ataques racistas.

Quando o governo usa a frase “Refugees Welcome“, é so hipocrisia se analisarmos como o governo lida na realidade dessa situação. Com o ultimo Recrudescimento da Lei de asilo, diversas melhorias de vida para as quais lutaram muitos refugiados nos anos passados, foram destruídos. Essa nova Lei, é o início de uma onda de deportacões.

Os refugiados ajudam e apoiam um ao outro e tentam viver uma vida autodeterminada apesar das diversas restrições e frente à escassez de recursos. Voluntários/as tentam fazer a vida nos alojamentos mais suportáveis, para lutar contra a indolência forcada, organizando cursos de idiomas, atividades esportivas e aconselhamento juridico. Aqueles que não foram convidados a um talk-show, têm que usar outros meios como greve de fome ou manifestacões, para chamar atencão. Mas como podemos organizá-lo quando não temos um espaço apropriado para tal?
Mostramos solidariedade onde o estado falhou: Cumprimentamos pessoas nas estacões, recolhemos e distribuimos donativos, passamos muitas noites na frente dos “Lagers“ para proteger-los de ataques racistas. Espaços de aconselhamento, lazer e cultura são raros, por isso tivemos que oferecer atividades no parque, que com a chegada do inverno são impossibilitadas. Por isso vamos mais além. Somos uma união auto-organizada composta por refugiados, com initiativas anti-racistas, assim como outros apoiadores e, com uma perspectiva a longo prazo de um convívio solidário, vamos criar um centro para pessoas com bases sociais diferentes.

Para isso precisamos de um espaço:

- que todas as pessoas possam planejar eles/elas mesmo sobre o quê eles/elas podem decidir longe da administração, das reparticões, dos serviços de vigilânçia.
- onde as pessoas nao estejam distinguidas por documentos.
- onde mulheres, homosexuais, transsexuais e crianças tenham um espaço protegido para um desenvolvimento livre.
- onde possamos oferecer aconselhamentos, oportunidades para fazer esporte e cursos de idiomas, discutir e organizar nossa alimentação.
- onde possamos organizar nossas pretensões politicas e falar para e por nós mesmos.

Não somos parlamentários/as, não temos muito tempo. Há muitas casas vazias que servem para esse nosso projeto. Exigimos da cidade: uma casa para nossas pretensões ou tomaremos nosso direito com nossas próprias mãos.
Um centro social para todos- Agora!

EWI, Karl-Heine Straße 22b, Leipzig, Alemanha
socialcenter-leipzig [at] posteo [dot] de
http://socialcenter-leipzig.de/

ewi_leipzig_aufruf_portu_aussenewi_leipzig_aufruf_portu_innen

http://socialcenter-leipzig.de/aufruf/portugese/