São Paulo (Brasil): Dezenas de prédios são ocupados na luta pela moradia e em solidariedade ao movimento contra a PEC 241

Une

No último domingo à noite, uma dezena de prédios foram ocupados em São Paulo numa ação coordenada pelos movimentos sem-teto, dos quais participam a FLM (Frente de Luta por Moradia) e o MMPT (Movimento de Moradia Para Todos).

Além da luta pela moradia, essa ação conjunta foi realizada em solidariedade ao atual movimento contra a política de austeridade do governo Temer. Atualmente, são mais de 1200 escolas e uma centena de universidades que estão ocupadas contra a PEC 241, projeto de emenda constitucional que prevê congelar os investimentos em saúde e educação nos próximos vinte anos.

Segue a nota publicada pelos movimentos sem-teto logo após a ocupação coordenada dos prédios :

“Sem Tetos ao combate

A violência contra os trabalhadores se espalha. A PEC 241, aprovada no congresso faz o salário mínimo virar pó. Se as novas regras da PEC do Teto dos Gastos tivessem entrado em vigor há 20 anos o salário mínimo em vigor no País seria de apenas R$ 400,00. Hoje é R$ 880,00 seria menos da metade. Daqui a 20 anos, em 2036 o trabalhador não conseguirá pagar nem uma vaga de pensão com o salário de um mês. Será comido ano a ano. Se corrigido pela sistemática atual, em 2036 o salário mínimo valerá R$ 7.082,06. Com a PEC 241 cairá para R$ 2.439,76. Será comido ano a ano. Em 20 anos, em 2036, perderá R$ 4.642,30. Esta desvalorização do salário impactará negativamente no rendimento de todos os trabalhadores. Domésticos, operários, funcionários públicos, prestadores de serviços e aposentados. A violência econômica já bate na porta de quem vive do trabalho e baterá mais forte daqui pra frente. O desemprego já atinge 12 milhões de pessoas. Esta situação ligada ao trabalho informal e os baixos salários que não cobrem as necessidades das pessoas levam o caos na vida dos trabalhadores.

Combinado com o ataque aos salários a PEC 241 busca aniquilar a previdência, a saúde, a educação e a assistência social. Isto tudo para aumentar a exploração dos trabalhadores. Impondo-lhes um massacre econômico e social.

Para isso aprimoram uma máquina de opressão mortífera. Nos últimos cinco anos foram assassinadas no Brasil: 278. 839 pessoas. Lá na guerra da Síria foram assassinadas 256.124 pessoas. Ou seja, matou-se mais no Brasil do que no mesmo período lá na guerra. É uma situação desastrosa tanto para os sírios quanto para os brasileiros.

O quadro econômico que se aprofundará agravará a fome e a desesperança para os trabalhadores.

Os sem tetos serão atingidos em cheio. A máquina opressiva do Estado – Forças de Segurança, Judiciário e mídia oficial, etc. agirão para proteger as propriedades, aqueles que mandam no Estado e os interesses econômicos em geral.

Aos trabalhadores e sem tetos só resta o combate. Combater pelos seus direitos e pela Justiça. Ocupar as propriedades abandonadas, buscando um refúgio para proteger suas famílias e lutar por justiça.

A justiça agora se expressa pela ocupação das propriedades fora da lei. Das propriedades sem função social e que impede, que milhões de trabalhadores tenham uma casa para morar.

Enquanto os estudantes ocupam as escolas e travam uma luta justa para salvar a educação. Nós sem tetos, ocupamos imóveis abandonados fora da lei para assegurar a justiça social e conquistar nossa moradia.

Irmanamo-nos todos: estudantes, sem tetos e trabalhadores na luta por justiça. Esta ação de ocupação de imóveis abandonados tem como fundamento a proteção de nossos filhos e de nossas famílias.

FLM – Frente de Luta por Moradia

MMPT – Movimento de Moradia Para Todos “.

1052085-sp_ebc_31.10.2016-3145

1052087-sp_dsc_3170

Despejos

Dos 9 edifícios ocupados, um deles, situado no bairro de Santa Cecilia, foi violentamente desalojado pela Polícia Militar logo após a ocupação.
Na quarta à noite, a FLM tentou ocupar outro prédio, na região central, mas a Polícia Militar conseguiu entrar no prédio e desalojar as 250 pessoas que participavam da ocupação.

Xs ocupantes tentaram resistir e montaram algumas barricadas nos arredores do prédio. Algumas/Alguns foram feridxs durante a ação da PM, e uma jornalista foi atingida à queima-roupa por uma bala de borracha. Três pessoas foram presas.

Expulsion

Expulsion1

Expulsion2

[Fontes: PortalFLM | G1 | AgenciaBrasil | Folha de São Paulo.]