Atenas: Ação de solidariedade pela okupação Dervenion 56. Um apelo internacional à solidariedade

Na sexta-feira 26 de junho, em Exarcheia, o Estado grego evacuou e fechou com blocos de concreto a okupação Dervenion 56 e o prédio na rua Dervenion 52. Imediatamente, um encontro solidário foi realizado na Praça Exarcheia por várias horas. Na noite do mesmo dia, foi realizada uma marcha solidária com a participação de aproximadamente 300 pessoas. A marcha terminou na okupa Dervenion 56, barricadas foram erguidas ao redor do perímetro e, em seguida, camaradas quebraram a marretadas os blocos de concreto da vergonha. A polícia nunca chegou e depois de algumas horas os manifestantes foram embora. Policiais da tropa de choque fizeram novamente uma operação na manhã seguinte, construindo novamente um muro de concreto em frente à porta da okupação. Segundo relatos, nos dias seguintes, várias ações de solidariedade aconteceram e uma manifestação ocorreu na principal rua comercial de Atenas, Ermou, onde slogans foram gritados, e aparentemente algumas pessoas atacaram lojas de grife multinacionais em Ermou no ocupado – pela polícia – centro de Atenas. Mesmo o rico yuppie sobrinho do primeiro-ministro, o prefeito de Atenas, Costas Bakogiannis, não conseguiu escapar da raiva causada pelas evacuações. O pioneiro da gentrificação violenta e seus guarda-costas foram atacados com cafés e outros itens por dezenas de pessoas em um festival local religioso. Nos dias seguintes, realizou-se novamente uma marcha em Exarchia, onde os camaradas demoliram as paredes das okupações de imigrantes seladas em Themistokleous 58 e Spirou Trikoupi 15. Todos esses dias, textos de solidariedade foram escritos e faixas foram colocadas em vários locais na Grécia. [Read More]

Berlim: “Ocuparemos…

…até que não tenhamos que fazê-lo mais”, costumávamos escrever. Geralmente ocupamos casas em Berlim, muitas foram evacuadas de novo. Mas agora a situação é diferente. Em tempos de “crise”, esta frase pode estender-se a um chamado: “Tens que se unir – em toda Europa!”

O Covid-19 está se estendendo por mais e mais áreas do mundo e resulta que o assim chamado estado de catástrofe é a regra. Porque ali, onde as pessoas são chamadas pelo supostamente necessário e estrito estado paterno: “Fique em casa”, nem todo mundo tem casa. Como se isso não fosse suficiente, o próprio estado aumentou o número de pessoas sem lar, desalojando-as. Ao mesmo tempo está fechando os alojamentos precários, que os desamparados necessitam para um pouco de pão, água e sabão. Em sua dupla moral, nos exorta patriarcalmente: “Cuidado com a higiene!”

“Evitar o contato social!” é o que os governos nos pedem que façamos. Mas, para onde deveriam retirar-se os refugiados quando estão apinhados em campos e prisões de deportação nas fronteiras exteriores da Europa e na periferia alemã? Ao lado de tirar-lhes seus direitos humanos – como o asilo, a liberdade de movimento e a moradia – também ficaram privados da possibilidade de proteger-se eficazmente contra o Covid-19. [Read More]

Grécia: Governo grego dá ultimato de 15 dias às ocupações

Nesta quarta-feira (20/11), o governo de extrema-direita do partido Nova Democracia lançou um ultimato contra as ocupações no território grego e anunciou que prenderá os imigrantes nas ilhas gregas.

O governo de Kyriakos Mitsotakis está aumentando o conflito com o movimento anarquista. Após a sangrenta repressão em Exarcheia no domingo passado, o governo de extrema-direita anunciou o despejo de todas as ocupações. Na quarta-feira, o Ministro da Proteção do Cidadão emitiu um ultimato de 15 dias aos ocupantes que ocupam prédios, privados ou públicos, no território grego para evacuar as instalações.

O ultimato de 15 dias terminará na véspera do aniversário do assassinato do jovem anarquista Alexandros Grigoropoulos. O ultimato nada mais é do que outra declaração de guerra contra o movimento anarquista, e o fato de que o prazo terminará em 5 de dezembro, deixa bem claro que o governo grego quer aumentar o conflito e espalhar o medo.

O anúncio é outra etapa da campanha repressiva do Estado grego, que já dura meses. Companheiros e companheiras em Atenas estão pedindo ações de apoio e solidariedade. A “Assembleia No Pasaran” convocou uma reunião de emergência no edifício Gine, em Atenas, no sábado, 23 de novembro, às 20h00. [Read More]

Grécia: o Estado e os fascistas de mãos dadas contra anarquistas e imigrantes

Enquanto o ataque ao bairro rebelde e solidário de Atenas acaba de começar na segunda-feira (26/08), as máscaras caem!

Sim, você leu corretamente: entre outros, são policiais [foto] usando distintivos fascistas que iniciaram a “limpeza de Exarcheia”. Não escondiam sua pertença e não deixavam de ser zelosos.

Enquanto o [partido] Aurora Dourada está desaparecendo, derrotado nas ruas por grupos antifascistas, suas instalações fecham uma após outra, sua sede principal estará à venda em breve, seu bairro favorito foi abandonado e as demissões de seus líderes chovendo desde a perda de todos os seus assentos no parlamento, algo ainda permite que os neonazis se alegrem: o ataque do Estado grego contra o bairro libertário e antifascista, onde muitos imigrantes vivem livremente.

Esta é uma verdadeira vingança para os neonazis gregos, alguns dos quais trabalham na força policial e às vezes se reconhecem através de sinais que se referem diretamente à mitologia do Aurora Dourada. É um momento excepcional para participarem do ataque ao bastião antiautoritário de Atenas. [Read More]

Grécia: Repressão, polícia grega desaloja quatro espaços ocupados por migrantes em Exarcheia

Mais de 100 pessoas, em sua maioria migrantes, foram detidas no início da manhã desta segunda-feira (26/08) em espaços ocupados, como parte de uma grande operação policial no bairro de Exarcheia, em Atenas.
Várias dezenas de agentes despejaram pelo menos quatro casas ocupadas de refugiados e migrantes neste bairro anarquista da capital grega.
O novo governo direitista de Kyriakos Mitsotakis prometeu “colocar em ordem” Exarcheia, enviando à polícia ao bairro.
Este bairro no coração de Atenas é palco de inúmeros projetos anarquistas e de frequente confrontos entre grupos anarquistas e agentes da lei, particularmente após a morte do jovem anarquista Alexis Grigoropoulos nas mãos de um policial em 2008, o que levou a vários dias de tumultos.
No final de julho passado, o oficial condenado pela morte de Alexis foi libertado após uma redução de pena.
O novo prefeito de Atenas, Costas Bakoyannis, que tomou posse neste domingo (25/08), também prometeu fazer da segurança seu principal objetivo, acusando o governo anterior de “tolerância” contra o vandalismo de certos grupos anarquistas.
A solidariedade é nossa arma. Não passarão! [Read More]

Atenas (Grécia): Nova Okupa no 58 da rua Themistokleous, em Exarcheia

20151210_new_squat_in_Themistokleous_Street_58_Exarchia_AthensNa noite de domingo, 10 de Janeiro de 2016, ocupámos o prédio vazio na rua Themistokleous nº 58, em Exarcheia, Atenas. A intenção é abrir um lugar onde xs imigrantes – bloqueadxs aqui na Grécia, devido às políticas europeias de imigração- possam viver e se auto-organizar, livres do controle do Estado. Somos um grupo de indivíduos de diferentes lugares e contextos, conectado através da luta contra o Estado, nações, fronteiras, campos de concentração para imigrantes, prisões, capitalismo; eventualmente contra todas as partes deste sistema podre de dominação que nos oprime. Estamos abertos a qualquer um/a que concorde com os nossos princípios básicos e que, sem qualquer agenda política oculta, queira participar no projeto.

Esta Okupa não se destina a ser um serviço público. Não somos “voluntários” e não vemos os imigrantes como vítimas. Um dos desafios deste projecto será o de superar, na prática, a separação que nos foi imposta por fronteiras e cidadania. Esta casa almeja tornar-se num lugar onde as pessoas se organizem e que mutuamente aprendam umas com as outras, independentemente das suas origens. [Read More]