Porto Alegre (RS-Brasil): Quando a anarquia incomoda. Comunicado da Biblioteca Kaos diante da perseguição contra anarquistas

Há muitas coisas para falar, mas iremos pelo mais urgente. O 25 de outubro começou uma perseguição anti-anarquista contra a FAG [Federação Anarquista Gaúcha], o Parhesia, a ocupação Pandorga e algumas individualidades que tiveram espaços e moradias invadidas pela polícia. Se não toda, provavelmente uma boa parte da diversidade anarquista foi atingida e várixs deles se pronunciaram desde suas concordâncias, com firmeza, diante da repressão. E isso é vento fresco que fortalece a todo aquele que se sinta em sedição.

Fica evidente que a mira dos agentes da repressão também aponta contra nós, contra as publicações que fizemos ou nas quais participamos. E é sobre isso que vamos a nos pronunciar. A cronologia da Confrontação Anárquica, tanto aquela que recolhe informação desde o 2000 até o 2015, quanto aquela que recolhe o acionar anárquico do 2016, são os livros que estão exibindo como “provas” de vandalismo, ataques, e atos criminosos. Dentre as múltiplas formas de procurar a liberdade que tem o anarquismo, esses livros falam da informalidade anárquica como um opção de acordo com o rosto da dominação atual. Ainda mais, esclarecemos que estes livros falam de ações que não são anarquistas só. O foco dos livros é a difusão de ações anárquicas. Para ser mais precisos, se difundem ações nas quais nós sentimos o aroma da anarquia. E entre o anarquismo e a anarquia há diferenças que podem ser delicadas mas que são importantes. [Read More]

Porto Alegre (RS-Brasil): Operação policial invade Ocupação Pandorga e diversos espaços libertários

Nesta quarta-feira, dia 25 de outubro, espaços libertários ou ligados a grupos anarquistas de Porto Alegre, Novo Hamburgo e Viamão foram invadidos pela polícia e alvos de buscas e apreensões. Diversos materiais, incluindo faixas, livros, zines e computadores foram apreendidos enquanto 32 pessoas estão sendo investigadas acusadas de “tentativas de homicídio, uso de explosivo e formação de quadrilha” por estarem supostamente vinculadas à ataques realizados nos últimos anos contra viaturas e delegacias de polícia, bancos, edifícios ligados ao exército e sedes de partidos. Trata-se de mais uma tentativa, orquestrada pelos investigadores da polícia civil, de criminalizar e reprimir movimentos populares e autônomos.

[Read More]

Itália: Notícias de Florença

No dia 1 de Janeiro de 2017, após a explosão de uma bomba artesanal junto a uma livraria fascista – na qual um polícia do esquadrão anti-bomba perdeu uma mão e um olho – várias casas de companheirxs foram tomadas de assalto pela polícia e registradas. A polícia esperava encontrar armas de fogo e/ou explosivos. As investigações não levaram a nada, exceptuando a apreensão de panfletos, computadores, roupas e outros materiais. Uma investigação contra pessoas desconhecidas foi lançada entretanto – com a intenção de xs acusar das infrações de “fabricação, posse e transporte de um dispositivo explosivo ou incendiário num lugar público” e “tentativa de assassinato”.

A polícia iniciou, entretanto, uma nova operação chamada “Operazione Panico” (Operação Pânico), a 31 de Janeiro. Às 12h30, a polícia bateu à porta das casas de várixs companheirxs, para notificá-los da execução de dez medidas cautelares. Estas consistiam em 3 pessoas confinadas à prisão domiciliar, 4 pessoas receberam uma ordenação, para impedir que saíssem da cidade, obrigando-os a voltar à noite para suas casas e a assinar diariamente na esquadra. E, finalmente, 3 pessoas receberam condições de fiança, mas tendo de assinar na esquadra da polícia, todos os dias. [Read More]

Turim (Itália): La casa è di chi l’abita!

troeppagentesenzacasa2Turim, situada na região de Piemonte, é uma das principais cidades de Itália. Cidade histórica, que já foi capital do reino de Itália, hoje em dia é mais conhecida pela sua grande área industrial graças em grande parte à fábrica da FIAT. Em meados do século XX o grande desenvolvimento industrial da cidade provoca um fluxo migratório vindo do sul. Os bairros populares cresceram pela cidade e com eles, mais tarde, as grandes lutas operárias dos anos 60 e 70. Barriera di Milano e Aurora, por exemplo, são palcos do grande movimento revolucionário que confronta o poder económico em toda a Itália. As acções radicalizadas desde a resistência nas fábricas à ocupação de casas ou à criação de coletivos autónomos deixam hoje uma rica tradição de luta que se perpetua nas ruas e nos centros sociais históricos da cidade. [Read More]

Dortmund (Alemanha): Resumo da Luta em Prol do Centro Social okupado Avanti

Na noite de sexta-feira, ativistas ocuparam a antiga igreja St. Albertus Magnus em Dortmund, que estava sem uso por mais de 7 anos. Apenas alguns minutos após a ocupação o publico em geral já estava ciente e cerca de pessoas chegaram à região e realizarão um encontro em frente à igreja, em solidariedade com o projeto e os okupas. É claro, não demorou muito para que os policiais também chegassem até o local, mas eles não tentaram invadir o prédio somente controlarão as pessoas que estavam fora. No dia seguinte, um sacerdote encarregado dos assuntos da igreja falou com os okupas e afirmou que iria tolerar a ocupação por uma semana. Imediatamente ativistas começaram a formar grupos de trabalho, tentando reformar o prédio para estabelecer um centro social. [Read More]

México: Declaração de solidariedade com a okupa Che Guevara

O caminho da autonomia não é fácil, mas o caminhamos firmes e convencidos de que é o caminho correto até um horizonte de liberdade.

Há 14 anos que existe no sul da cidade do México um espaço de resistência, de construção da autonomia. O auditório Che Guevara tem sido desde sua retomada pelo movimento estudantil, em março de 2000, um espaço onde as utopias encontram seu lugar.

Apesar da tentativa das autoridades universitárias em desmantelá-lo, depois da tomada militar da PFP do campus universitário em fevereiro de 2000, o auditório se encontrava sem poltronas, o equipamento de áudio danificado, assim como as instalações de luz e água, etc., o trabalho de estudantes e grupos organizados conseguiram recuperar o auditório. E desde esse momento já havia anarquistas trabalhando na manutenção. [Read More]

[Grecia] Tesalónica: Orfanotrofio Reokupado e Desalojado.Detenção em Massa

Thessaloniki_Orfanotrofio_squat

No sábado, 28 setembro pela manhã, um grupo de companheiros voltou a okupar a já desalojada okupa Orfanotrofio no distrito de Toumba, Thessaloniki. Pouco tempo depois, publicaram uma declaração coletiva sobre sua ação e subiram para o telhado do Edifício, onde amarraram uma faixa onde se lia: REOKUPADA. Enquanto isso, uma grande força policial mantinha em controle xs solidarixs que estavam na rua. Finalmente, a polícia invadiu a okupa ao meio-dia. Todxs xs okupas foram detidxs e gritavam: “A paixão pela liberdade é mais forte que todas as celas. [Read More]

Ocupar com k. Os squatters invadem espaços abandonados para contestar o capitalismo e a cultura de massa

casa okupada em Curitiba

O termo “gentrificação” é usado para explicar um importante mecanismo de manutenção de espaços ociosos, sobretudo nas regiões centrais das grandes cidades. São transformações que tem como fim recuperar o valor de áreas específicas, almejando enobrecê-las. Em resposta a esse jogo de interesses, o movimento squatter desafia as políticas excludentes ligadas à especulação imobiliária. Seu método são as ocupações.

A prática não é recente. O movimentonasceu na Europa dos anos 1960, propondo, como alternativa à falta de moradia, a ocupação de casas, apartamentos e prédios desocupados ou abandonados em razão da especulação. A partir da década de 1980, essa modalidade de luta urbana estreitou vínculos com a cultura punk e o anarquismo. Essa aliança político-cultural fez germinar diversos centros de atividades sociais. [Read More]

Atenas (Grécia): Actualização sobre os/as compas detidos/as a 9 de Janeiro de 2013

O saldo repressivo após as operações policiais que se levaram a cabo em Atenas a 9 de Janeiro, tanto contra os/as compas que reocuparam Villa Amalias, como contra os/as compas que ocuparam simbolicamente os escritórios  do partido de Esquerda Democrática e os/as compas detidos/as após a incursão na Ocupa Skaramaga, é o siguinte:

-93 pessoas enfrentam acusações por delitos graves, resultado da sua detenção no pátio da reocupada Villa Amalias. 92 deles continuam em custódia cautelar nas celas da sede da polícia na avenida Alexandras, a outra pessoa é menor e foi liberada ontem (10/01). [Read More]

Rio de Janeiro (RJ, Brasil): emergencia, detençaõ e desalojo de um squat

Nós do blog acabamos de receber a noticia de uma ação,seguida de invasã da policia na okupa Abu jamal onde 8 ocupantes foram detidos e levados para a  5a DP, na Gomes Freire!
O squat foi desalojado e os compas liberados em seguida depois de passarem por algumas humilhações já previstas por cães de guarda da burguesia.
Infelismente nos do blog ainda não tinhamos conhecimento desta okupa e não sabemos informar a quanto tempo estava okupada.Por pedido dos ex okupas estamos divulgando com os informes que temos.Estamos em contato com alguns okupas e em breve estaremos postando mais noticias,material,fotos desta ok.
SAUDE SEMPRE! UM DEALOJO OUTRA OUPAÇÃO!
NAÕ DESISTAM COMPAS. ESTAMOS COM VOÇES! [Publicado em Okupa y Resiste]