Belo Horizonte (Brasil) : Dez anos de ocupações urbanas!

Dez anos atrás, um terreno não construído foi ocupado por centenas de famílias no bairro Céu Azul, criando a ocupação Dandara, uma das maiores ocupações urbanas organizadas do país. Esta ação ocorria pouco tempo após a ocupação de outros terrenos no Barreiro – criando as comunidades Camilo Torres e Irmã Dorothy – primeiros passos de uma série de ocupações de terras urbanas nesta região da cidade.

Tais episódios marcaram o início de um ciclo de retomada do território urbano em Belo Horizonte com diversas formas e estratégias:  ocupações de terrenos urbanos na periferia resultando em bairro autoconstruídos e autogestionados – do Barreiro à Pampulha e de Contagem à Santa Luzia, ocupações de prédios na região central na luta por moradia – da ocupação Zezeu Ribeiro/Norma Lucia à Ocupa Vicentão ou ainda ocupações de edifícios para criar centros sociais e culturais autogeridos – do Espaço Comum Luiz Estrela à ocupa feminista Tina Martins passando pela libertária Kasa Invisível – sem esquecer dos recentes acampamentos de sem-terra em São Joaquim de Bicas ou da retomada de terra indígena Naô-Xoan, também na Região Metropolitana de BH…

[Read More]

Novo Hamburgo (RS-Brasil) : Jornada de resistência anti-despejo na okupa Viúva Negra

Segue a programação da “Jornada do Fim do Mundo” – Semana de resistência anti-desalojo na okupa Viúva negra, em Novo Hamburgo (RS):

[Read More]

Porto Alegre (RS-Brasil): Ocupação Baronesa resiste!

A okupa Baronesa tem resistido às pressões da prefeitura e da brigada militar há cerca de três meses. Hoje, das 10 famílias que inicialmente ocuparam o imóvel abandonado pela prefeitura na esquina da rua 17 de Junho com a Baronesa do Gravataí, 3 resistem ao desalojo e fixaram seu acampamento na calçada, em frente à okupa. A reintegração de posse ocorreu no dia 7 de junho, uma sexta-feira.

Desde o dia 18 de março, 20 adultos e 17 crianças ocuparam o prédio e promoveram melhorias no espaço do imóvel, acabaram com infestação de ratos e com focos de mosquito da dengue além de trazerem paz e sossego para a vizinhança. Os seis sobrados que compõe o espaço ocupado, antes das famílias chegarem, eram utilizados como ponto de encontro de usuários de drogas e como depósito de objetos furtados. [Read More]

Manaus  (Brasil) : Reocupação de terreno após tentativa de remoção

Na zona oeste de Manaus, no bairro Tarumã, a Polícia militar, apoiada pela Ronda Ostensiva  Cândido Mariano (Rocam), Força Tática e Cavalaria, iniciou uma operação de remoção contra mais de 600 famílias que ocupam um terreno há mais de três meses. A comunidade, que inclui 14 famílias indígenas, havia ocupado esta área – parcialmente desmatada e devastada pelo garimpo – por necessidade de moradia e com o intuito de preservar as nascentes de igarapés que existem na área. « Nós precisamos de moradia digna e portanto nós precisamos desta terra », afirma Elizete, integrante da comunidade.

[Read More]

Lisboa (Portugal): Famílias ameaçadas de despejo resistem na Penha de França

Hoje, na Penha de França, na Quinta Santo Antonio, várias famílias estavam a ser despejadas.

Famílias que ocuparam casas depois de terem perdido a sua própria casa para essas políticas de habitação da Câmara Municipal de Lisboa: onde há cada vez mais habitações de luxo para os super-ricos e cada vez menos casas para as pessoas trabalhadoras morarem.

Iam hoje ser postas na rua sem nenhuma solução habitacional adequada! Porém, juntos de uma rede de solidariedade e apoio da Stop Despejos e da Habita, conseguiram resistir! Porém a luta deles não foi ganha, ainda há o risco de despejo esta semana!

[Read More]

São Paulo (Brasil): Ocupação 9 de julho ameaçada de despejo

Carta aberta do MSTC sobre o risco de despejo da Ocupação 9 de julho:

O Movimento Sem Teto do Centro (MSTC) ocupa um prédio localizado na Avenida 9 de Julho, que pertencia anteriormente ao Instituto Nacional do Seguro Social- instituição do Governo Federal. O prédio ocupado trata-se de um símbolo de luta pelo direito à cidade no centro de São Paulo, pois é conhecida a trajetória de movimentos sem-teto para transformação deste prédio em moradia social, tendo a primeira ocupação dele ocorrido em 02 de novembro de 1997, com fundamento na Constituição de 1988, que garante o direito à moradia e a função social urbana.

[Read More]

Itaberaba (BA-Brasil ) : 120 famílias sem-terra reocupam fazenda

 

Na madrugada dessa segunda, dia 13 de maio, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) reocupou a fazenda Santa Maria, conhecida como Bom Jardim, localizada na zona rural de Itaberaba na Chapada Diamantina.
Cerca de 120 famílias reocuparam pela sexta vez a fazenda, que outrora tinha sido instrumento do agronegócio na criação de gado e que se encontra desativada. A fazenda vinha sofrendo desmatamento e caça ilegal. Uma queixa foi prestada no IBAMA anos atrás, mas até o presente momento nada foi feito a respeito.

[Read More]

Belo Horizonte (Brasil): Nasce uma nova ocupação na avenida Amazonas

A população em situação de rua em Belo Horizonte, organizada pelo Movimento Nacional da População de Rua, diante da grave necessidade de garantir o direito fundamental de moradia digna, ocupa desde o último sábado um dos casarões abandonados na Avenida Amazonas. 

Em Belo Horizonte, são quase 7 mil pessoas em situação de rua, e não há programa habitacional ou mesmo abrigos que atendam essa demanda. E por outro lado, há na cidade muitos imóveis abandonados, que não cumprem nenhuma função social como determina a constituição federal.

[Read More]

São Paulo (Brasil): Ajude a reconstruir a Rádio Libertadora Sem Medo do Capão

No dia 24 de janeiro de 2019, um incêndio transformou em cinzas o estúdio que abrigava a Rádio Libertadora Povo Sem Medo do Capão. Veja fotos e saiba mais aqui.

A rádio começou a funcionar em 2017 junto à Ocupação Povo Sem Medo do Capão do MTST. O objetivo de sua construção era aproximar e dar acesso aos meios de comunicação aos acampados.

Com muito esforço, foi construído um primeiro barraco-estúdio, noticiado pela TVT [1]. A rádio passou a funcionar principalmente aos sábados, quando as cozinhas da ocupação estavam a todo vapor e quando aconteciam enormes assembleias do movimento. No mesmo ano, foram realizadas oficinas de radionovela, produzidos vídeos sobre o futebol de várzea da periferia, incluindo a cobertura dos finais de campeonato com drones [2][3], e a cobertura da festa junina do movimento Sem-Teto.

[Read More]

Medellín (Colômbia): revolta popular durante o despejo de terrenos ocupados

Nesta segunda-feira (25) uma grande operação policial removeu entre 300 e 500 sem-tetos que ocupavam terrenos no bairro La Autora, na zona oeste de Medellín. A operação começou cedo de manhã e se terminou com a destruição de todos os barracos construídos.

As ocupantes e os ocupantes se revoltaram com a operação e tentaram resistir enfrentando as bombas de gás da polícia. Segundo Jaime Ortiz, morador do bairro:

Pelas 07hs da manhã, os policiais jogaram uma primeira bomba de gás. É neste momento que o confronto começou. As pessoas atiravam contra a Esmad [1] garrafas, pedras, paus e tudo que eles podiam encontrar”.

[Read More]