França: Três anos após a morte de Rémi Fraisse, a luta nas ZAD continua

Três anos atrás, no dia 25 de outubro de 2014, Rémi Fraisse foi morto pela polícia enquanto participava de uma manifestação em defesa da floresta de Sivens, no Tarn, sul da França. A granada ofensiva que matou Rémi, além de expor ao público local e internacional a letalidade das armas usadas pela polícia francesa, também chamou atenção para a luta pela proteção do vale de Sivens. Foi ali que, durante meses, centenas de pessoas –muitas dos arredores – decidiram transformar seus corpos em barricadas para proteger a zona contra um projeto de barragem que iria favorecer a agricultura intensiva na região. Reproduzindo uma estratégia de resistência contra projetos capitalistas destrutivos que se espalhou no interior da França nos últimos anos, elxs transformaram o Vale de Sivens em mais uma ZAD – leia-se Zona A Defender.

[Read More]

Belo Horizonte (MG-Brasil): Nova retomada de terras indígenas na região metropolitana

Nesta quinta-feira, dia 2 de novembro de 2017, mais de 20 famílias indígenas iniciaram uma retomada de terra na região metropolitana de Belo Horizonte, próximo ao município de Mario Campos. As margens do rio Paraopeba, próximo a um acampamento do Movimento Sem Terra, xs indígenas ocuparam uma reserva afim de preservá-la e garantir sua sobrevivência.

[Read More]

Porto Alegre (RS-Brasil): Operação policial invade Ocupação Pandorga e diversos espaços libertários

Nesta quarta-feira, dia 25 de outubro, espaços libertários ou ligados a grupos anarquistas de Porto Alegre, Novo Hamburgo e Viamão foram invadidos pela polícia e alvos de buscas e apreensões. Diversos materiais, incluindo faixas, livros, zines e computadores foram apreendidos enquanto 32 pessoas estão sendo investigadas acusadas de “tentativas de homicídio, uso de explosivo e formação de quadrilha” por estarem supostamente vinculadas à ataques realizados nos últimos anos contra viaturas e delegacias de polícia, bancos, edifícios ligados ao exército e sedes de partidos. Trata-se de mais uma tentativa, orquestrada pelos investigadores da polícia civil, de criminalizar e reprimir movimentos populares e autônomos.

[Read More]

São Paulo (Brasil): Moradores tentam resistir à remoção no Parque Bristol

A ocupação de sem-teto situada entre as ruas Farid Miguel Haddad e Giácomo Cozzarelli, na região do Parque Bristol, na Zona Sul de São Paulo, foi removida esta manhã (dia 24 de outubro) pela Polícia Militar. Xs moradorxs, que já tinham sido avisadxs da reintegração de posse, tentaram resisistir até o final e atearam fogo em alguns pontos do bairro para impedir a entrada de Oficiais de Justiça e da PM.

[Read More]

Seropédica (RJ-Brasil): Resistimos e seguiremos ocupando!

Balanço de duas semanas de okupação: resistimos e seguiremos ocupando!

Esta quinta-feira, dia 18 de outubro, completamos duas semanas de ocupação independente e autônoma na casa do vice-reitor na UFRRJ (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro ). Neste balanço, queremos parabenizar todos os companheiros que estão mantendo de forma autogestionária e agroecológica nossa ocupação, com divisão de tarefas de modo equilibrado e justo para todos e aproveitamento máximo, dentro das possibilidades, dos recursos disponíveis, de modo que não dependemos do apoio de quaisquer entidades, mas apenas de nós mesmos.

[Read More]

Seropédica (RJ-Brasil): Casa do Vice-reitor da UFRRJ é ocupada

No início deste mês, estudantes ocuparam uma casa que pertence ao vice-reitor da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ):


Okupa Rural: Nota de Ocupação da Casa do Vice-Reitor
Seropédica, 11 de Outubro de 2017

No final de setembro houve vazamento de um encanamento da CEDAE dentro do campus universitário da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Este vazamento acarretou em falta de água em todo o alojamento masculino e no bloco 1 dos alojamentos femininos, durante 4 dias. Diante disso, não houve nenhum posicionamento da reitoria no que se refere a tentar sanar o distúrbio que interfere num direito básico a sobrevivência. Na segunda-feira, dia 2 de outubro, alguns estudantes indignados com a situação decidiram ocupar a casa destinada ao reitor. Esta ocupação se inicia com a convocatória para um “banhaço” organizado por estudantes moradores dos alojamentos sem vínculos com o DCE.

[Read More]

Porto (Portugal): A nova ocupação A Travessa é despejada

Nesta segunda-feira, dia 16 de outubro, às 07h30 da manhã, a ocupação A Travessa foi despejada pela Polícia de intervenção e pela PSP. 21 pessoas foram detidas e levadas para a Esquadra do Heroísmo. Às 12:47 todxs xs detidxs tinham sido libertadxs da esquadra. Elxs foram constituídxs arguidxs sem lhes ser comunicado qual o crime cometido.

Via guilhotina.info (facebook).

Porto (Portugal): Ocupar o abandono, 2º dia da Travessa

No domingo, quase meia centena de pessoas apareceram para mostrar o seu apoio à Travêssa. Pela manhã, nada melhor do que ter vizinhos a trazer o pequeno-almoço. Para além disso, também ofereceram mobília, utensílios de cozinha, mantas, azeite e outros alimentos, disponibilizaram-se para ajudar e assumiram a sua solidariedade. Começava-se a perceber que as relações iniciadas no dia anterior fortaleciam-se e que a ideia de abrir a escola estava a ser bem recebida.
Ao longo do dia quem chegava ia-se organizando para colaborar nos arranjos, nas limpezas e melhoramentos do edifício, lavando o chão das salas, recolhendo o lixo do jardim ou arranjando fugas de água.
Para o final da tarde estava marcada uma conversa com o tema “Ocupar porquê?”. Depois de arranjar maneira de instalar toda a gente no pátio, surgiram várias considerações sobre a importância de relação com a comunidade local; os efeitos da turistificação da cidade e as formas de combatê-la; a necessidade de divulgar a ideia de ocupação; a criação de redes entre projectos semelhantes; a pertinência de acções sobre problema de habitação na cidade. [Read More]

Itapetinga (BA-Brasil): Operação policial é realizada após ocupação de 13 fazendas

Uma operação policial foi deflagrada na semana passada, nos dias 2 e 3 de outubro, para desocupar 13 fazendas que tinham sido ocupadas recentemente por índios Pataxó Hã hã hãe e por sem-terra na região de Itapetinga, no sul da Bahia. Duas destas fazendas, as fazendas Esmeralda e Tabajara, pertencem ao ex-ministro Geddel Vieira Lima que foi preso em setembro de 2017 pela polícia Federal acusado de corrupção e lavagem de dinheiro.

[Read More]

Porto (Portugal): A Travessa Okupada

Nova Ocupação na cidade do Porto
Travessa dos Campos 170 – Apareçam e partilhem

Decidimos ocupar um espaço abandonado há anos, onde nos possamos auto-gerir, sem hierarquias nem delegações, sem pedir autorização às instituições e sem negociarmos com elas, recusando assim qualquer tipo de autoridade por ser um obstáculo à livre expressão individual e colectiva e às livres relações sociais.

Num momento em que o Porto é devorado por obras faraónicas de limpeza social, é fundamental afirmar que não queremos portuenses elegantes e servis, cuja única função seja fazer parte do menu a ser devorado por imobiliárias, empresas e agências turísticas em ambiente limpo e pitoresco, desprovido de qualquer conflito social. Por isso, resolvemos organizar-nos a partir das contradições que nascem das profundas transformações quotidianas da nossa cidade. [Read More]