Medellín (Colômbia): revolta popular durante o despejo de terrenos ocupados

Nesta segunda-feira (25) uma grande operação policial removeu entre 300 e 500 sem-tetos que ocupavam terrenos no bairro La Autora, na zona oeste de Medellín. A operação começou cedo de manhã e se terminou com a destruição de todos os barracos construídos.

As ocupantes e os ocupantes se revoltaram com a operação e tentaram resistir enfrentando as bombas de gás da polícia. Segundo Jaime Ortiz, morador do bairro:

Pelas 07hs da manhã, os policiais jogaram uma primeira bomba de gás. É neste momento que o confronto começou. As pessoas atiravam contra a Esmad [1] garrafas, pedras, paus e tudo que eles podiam encontrar”.

[Read More]

Porto Velho (Brasil): resistência e violência policial durante operação de remoção

Nesta segunda-feira, policiais militares cumpriram uma ordem de despejo contra 4 moradores no bairro Jardim Santana, setor chacareiro, em Porto Velho, no Estado de Rondônia.
A comunidade em volta se comoveu com a situação e cerca de 70 pessoas tentaram impedir a ação dos policiais que utilizaram balas de borrachas, bomba de efeito moral e gás de pimenta. Algumas pessoas passaram mal ao inalar. Entre elas, duas crianças, uma de 8 e outra de 14 que foram encaminhadas a UPA leste.

[Read More]

Campo Grande (MS-Brasil): Moradores do Jardim Colorado e Pênfigo resistem contra ordem de despejo

A resistência dos moradores dos bairros Jardim Colorado e Pênfigo, em Campo Grande, no Estado do Mato Grosso do Sul, permitiu a suspensão de uma ordem de despejo que visava a área.   A Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul conseguiu nesta semana suspender a ordem de reintegração de posse da área que equivale à cerca 28 mil m² (metros quadrados) que compreende duas quadras, na extensão da Rua Sebastião Ferreira, e despejo das cerca de 400 famílias por pelo menos 90 dias.

[Read More]

Brumadinho (MG-Brasil): Sem Terra bloqueiam ferrovia da Vale

Membros do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) bloquearam, nesta quinta-feira, dia 31 de janeiro, a ferrovia do terminal de Sarzedo, que escoa a produção de minério de empresas como a Vale, na região de Brumadinho (MG). Famílias em acampamento usavam água do rio Paraopeba, agora poluído por rejeitos.

Segundo o movimento, o objetivo do bloqueio é chamar a atenção da Vale para a situação do acampamento “Pátria Livre”, após o rompimento da barragem da empresa na última sexta-feira (25). Mais de 15 caminhões estão parados na estrada, sem poder cruzar para o outro lado da ferrovia.

[Read More]

Belo Horizonte (Brasil): Tira a mão da nossa okupa! A Kasa Invisível resiste!

No dia 11 de Fevereiro de 2019 teremos a primeira audiência da Kasa Invisível com a família do antigo dono. No começo do mês a família entrou com um pedido de reintegração de posse que foi indeferido pelo juiz e uma audiência de conciliação foi marcada. O imóvel ficou mais de 20 anos abandonado e extremamente deteriorado, então sabemos que tipo de “negociação” está em jogo quando se tem uma família herdeira de vários outros imóveis pronta para alimentar a especulação imobiliária em uma das áreas mais nobre da cidade. Por isso frisamos: é MUITO importante a marcar presença e mostrar nossa resistência!

[Read More]

Brasil: violência cresce contra terras indígenas, sem-terra e ocupações

Com a vitória do candidato de extrema-direita Jair Bolsonaro para presidência, os tempos anunciam um crescimento da repressão e violência contra sem-terra, indígenas, ocupações e contra todos os territórios e espaços conquistados através das lutas sociais. De fato, o ex-capitão do exército sempre demonstrou sua proximidade com os latifundiários da bancada ruralista e lobbies do agronegócio, se colocando como representante e porta-voz de seus interesses.

[Read More]

Buenos Aires (Argentina): Ocupação da Villa Urquiza resiste!

Espaço comunitário gerido por assembleia autônoma do bairro Villa Urquiza, em Buenos Aires, recebe notificação de despejo na tarde de quinta-feira (22). A intimação estipula o prazo de dez dias para que a comunidade entregue o espaço, sob ameaças de responsabilização penal.

A “Asamblea de Vecinxs Autoconvocadxs de Villa Urquiza”, organismo gestor do espaço, convoca luta contra ameaça de despejo do espaço comunitário. Ocupado pela comunidade há 16 anos, o espaço autogestionado oferece atividades políticas e culturais para a vizinhança.

[Read More]

Rio de Janeiro (Brasil): Policiais invadem encontro indígena na Aldeia Maracanã

No último dia 19/11, um grupo de três policiais à paisana (“P2”), armados, foi identificado na Aldeia Maracanã. Antes de serem visto com as armas, o trio já havia levantado suspeitas, sendo flagrado tirando fotos sem autorização e interrogando de forma ameaçadora um grupo de universitários. A invasão policial ocorreu no penúltimo dia do Coirem 2018 – Congresso de Intercultural de Resistência Maraka’nà, evento dedicado a denunciar a violência de Estado sofrida pelos povos tradicionais no Brasil e no mundo.

[Read More]

Rio de Janeiro (Brasil): Militarização e resistência nas favelas e periferias

Reproduzimos aqui esta entrevista publicada originalmente no site Cartografia Noturna.

“Nós por nós”: militarização e resistência nas periferias do Rio de Janeiro


Há 5 anos atrás, em julho de 2013, o desaparecimento de Amarildo de Souza, pedreiro e morador da favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, durante uma operação de repressão policial, suscitou uma onda de indignação no Brasil inteiro. Em março de 2018, o assassinato da vereadora Marielle Franco em pleno centro da cidade, que acabou de completar 7 meses, gerou uma nova onda de indignação pelo país. Estes dois crimes revelam os desafios enfrentados por aqueles que se organizam para combater a violência do Estado nas periferias do Rio de Janeiro. Durante os cinco anos que os separam, a violência policial nas favelas cariocas se intensificou drasticamente, agora com a presença sistemática do Exército nas comunidades. Por outro lado, diversos movimentos se consolidaram nestes territórios, juntando forças e construindo ferramentas para enfrentar esta violência.

[Read More]

Campo do Meio (MG-Brasil): O acampamento Quilombo Campo Grande é ameaçado de despejo

Durante audiência realizada na tarde desta quarta-feira (7 de novembro), o Juiz Walter Zwicker Esbaille Junior mandou despejar as 450 famílias Sem Terra moradoras da usina falida de Ariadnópolis, em Campo do Meio-MG. Ele deu o prazo de sete dias para desfazer a ocupação.

Com essa decisão serão destruídos 1.200 hectares de lavoura de milho, feijão, mandioca e abóbora, 40 hectares de horta agroecológica, 520 hectares de café. Além disso, centenas de casas, currais e quilômetros de cerca serão derrubados. Essa ordem destruirá tudo o que as pessoas construíram em duas décadas de trabalho.

[Read More]