Lisboa (Portugal): Prédio é ocupado na região central da cidade

O número 69 da Rua Marques da Silva encontra-se ocupado.

A acção parte da iniciativa de um grupo de pessoas, sem qualquer filiação institucional, unidas pela vontade de dar vida a um imóvel abandonado.

Nos últimos anos, o direito a habitar na cidade de Lisboa tem sido alvo de diversos ataques. Num cenário de crise económico-financeira e de austeridade, a alteração da lei das rendas por parte do anterior governo veio permitir novas oportunidades de negócio a fundos de investimento e demais entidades especuladoras.
[Read More]

São Paulo (Brasil): Ocupação Mauá ameaçada de despejo

Localizada há mais de 10 anos na região da Luz, centro de São Paulo, a Ocupação Mauá está na linha de frente do projeto higienista do Prefeito João Dória.

A reintegração de posse da Ocupação está marcada para o dia 22/10, todo apoio é necessário!

[Read More]

Belo Horizonte (MG-Brasil): Nascem duas novas ocupações na região central da cidade

Na semana passada, duas novas ocupações de moradia foram realizadas na cidade de Belo Horizonte. No dia 06 de setembro, cerca de 200 famílias ocuparam um prédio abandonado há mais de cinco anos na avenida Afonso Pena, no centro da cidade, com o apoio do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB). Na manhã do dia seguinte, 70 famílias ocuparam um prédio na rua Pedro Lessa, perto da Vila Pedreira Prado Lopes, na região central da cidade, desta vez com o apoio do Movimento de Trabalhadores por Direitos (MTD).

[Read More]

São Paulo (Brasil): Chamado de solidariedade com a comunidade autogerida pelo povo de rua

A okupa do viaduto Alcântara Machado, situado no Brás, em São Paulo, soma quatro anos de luta na contramão do sistema. 

Entre prédios, empreendimentos, ações policiais e perseguições jurídicas, rapa e violência institucional ,o povo de rua daquela região resiste cotidianamente sem auxílio de nenhum dos governos. Nem Kassab, nem Haddad, nem Dória conseguiram de bater de frente.

[Read More]

Salonica (Grécia): Comunicado da Organização Política Anarquista em solidariedade com a okupa Mundo Nuevo

Este comunicado da Organização Política Anarquista, em solidariedade com a okupa Mundo Nuevo, foi publicado em sua página web em sequência a uma publicação em um meio de desinformação digital, através da qual os aparatos repressivos do Estado puseram a okupa no ponto de mira. Esperamos poder difundir logo mais notícias sobre este caso.

Solidariedade com a okupa Mundo Nuevo. Tirem as mãos das okupas [Read More]

Itália: Sobre a detenção de 8 anarquistas e o dasalojo da La Riottosa

3-08-2017. Durante a manhã, oito companheirxs anarquistas foram presxs em Florença, Roma e Lecce. Estão acusadxs do ataque com molotov contra o quartel de Carabineiros (polícia militarizada italiana) de Rovezzano, em Florença (21-04-2016) e do ataque explosivo contra a livraria “Il Bargello” – um espaço do ambiente da Casa Pound (organização fascista) – em Florença (01-01-2017). Naquela manhã a bomba explodiu na mão de um polícia que a tentava desativar, perdendo este a mão e um olho.

Xs companheirxs anarquistas encarceradxs, acusadxs pelo ataque contra a livraria fascista são Nicola Almerigogna, Roberto Cropo, Pierloreto Fallanca “Paska”, Giovanni Ghezzi e Salvatore Vespertino, enquanto que xs encarceradxs pelo ataque contra o quartel são Micol Marino, Marina Porcu e Sandro Carovac. [Read More]

Chania (Creta-Grécia): Informação sobre a manifestação em solidariedade com a okupa Rosa Nera

Umas 600-700 pessoas participaram na manifestação realizada em 13 de junho de 2017 na cidade de Chania, em solidariedade com a okupa Rosa Nera. A manifestação aconteceu contra os planos do reitor da Universidade de Creta de vender ao Capital privado o edifício da okupa, assim como o edifício da reitoria, com o fim de que se convertam em hotéis, cuja exploração será pelas mãos de uma empresa hoteleira.

A concentração foi realizada às 18h na praça do mercado de Chania, e contou com a participação de gente da cidade e de Réthimno. A marcha começou uma hora mais tarde. Passou pelo centro da cidade, parou em frente da Prefeitura, onde se pintaram lemas, e continuou até o velho porto veneziano, plenamente turístico, onde se gritaram lemas associados com as condições laborais dos trabalhadores no setor do turismo.

Ao passar a marcha pelo hotel Ambassador, os manifestantes procederam a um bloqueio simbólico do hotel, já que há indícios de que seu dono é o que se esconde atrás de uma empresa chipriota (off shore), à qual se concederá pelos próximos 25 anos a exploração comercial dos edifícios da okupa e da reitoria da Universidade. Hora e meia depois de seu começo, a marcha terminou na okupa, onde se organizaram um café e uma ceia auto-organizados. [Read More]

Chania (Creta-Grécia): Solidariedade com a okupa Rosa Nera

Não faltam os hotéis de Creta. Faltam os espaços livres.

Durante os últimos anos todos os governos realizaram várias campanhas de eliminação dos espaços autogestionados e livres. O que querem conseguir é que nos encontremos só em nossas casas, nas cafeterias, nos bares e nos centros comerciais. Quer dizer, que querem que sejamos só consumidores e clientes. Por conseguinte, a ofensiva que está recebendo a okupa Rosa Nera em Chania não é fortuita.

O edifício da okupa pertence à Escola Politécnica de Chania, e faz treze anos constitui um lugar de luta e cultura emblemático, cobrindo também necessidades de teto. Em suas instalações as pessoas incansáveis que se esforçaram por dar vida ao edifício criaram um teatro, uma biblioteca e sala de leitura, um espaço de apresentações (de criações artísticas), um parque de crianças, uma oficina de construções, um espaço em que se celebra um bazar de artigos doados , um forno de produção de pão artesanal, e um café.

Nestes treze anos foram organizados centenas de eventos, concertos, apresentações, debates, oficinas, festas, cafés de apoio de coletividades e de ações. Todos tiveram um carácter antimercantilista. Recentemente se soube que o reitor da Universidade de Creta, Basilio Digalakis, no marco da expropriação da fortuna da Universidade convocou um concurso com o fim de converter em hotel o edifício da okupa. Das vistas preciosas desde a colina de Kasteli, onde se encontra a okupa, poderão desfrutar só os que tem o bolso cheio. [Read More]

Setúbal (Portugal): Comunicado da C.O.S.A. em luta!

Comunicado da C.O.S.A. (Casa Okupada de Setúbal Autogestionada) em luta!

Pedimos desculpa àquelxs que já se questionaram sobre isso devido à nossa falta de comunicação.

Continuando do ponto que fizemos com o último comunicado, o processo judicial que visa o despejo da C.O.S.A. [Casa Ocupada de Setúbal Autogestionada], e ao qual nós decidimos apresentar defesa, teve no dia 28 de Abril uma audiência prévia.

[Read More]

Porto Alegre (RS-Brasil): Novo espaço da Biblioteca Kaos

Ocupamos de novo! A Biblioteca Kaos tem novo espaço.
O domingo 12 de março entramos na casa da Rua Coronel João Manoel 641, antes o morro da formiga. Casa que estava abandonada faz três anos, no meio do centro histórico de Porto Alegre, e que é parte das heranças de duas das famílias mais burguesas, donos da cidade faz séculos: Chaves Barcellos e Wallig.

Temos a absoluta certeza de que estamos incomodando os poderosos que já apareceram para nos ameaçar e muito risivelmente para nos convidar a ser parte dos seus projetos de capitalismo alternativo. Nossa resposta é uma só: somos ocupas, anarquistas, e com a burguesia não temos conversa nenhuma.

Para nossa surpresa e alegria, a vizinhança apoia totalmente a ocupação porque vieram que poucas pessoas arrumaram um espaço que faz anos estava sem uso. A interação com eles foi uma clara atitude de solidariedade e iniciativa não só nas palavras mas sobretudo na ação, participando pouco a pouco da limpeza do lugar e apoiando com sua presença em algumas das visitas dos donos.
Depois das ameaças dos Burgueses de nos jogar pra fora com seus capangas e pitbulls, as galera das outras okupas da cidade chegaram para nos fazer sentir sua solidariedade e ajuda.
Neste momento ainda estamos na briga pelo espaço mas nossa decisão desde o início é permanecer sem negociação, nem jurídica nem verbal com os proprietários. A ocupação é uma pratica subversiva que não pode ser engolida pelas normas de propriedade imobiliária, é a resposta efetivas à acumulação absurda da terra em mão de uns poucos privilegiados. Nossa determinação diante disto é clara: casa abandonada, casa ocupada.
Mandamos nosso salve à Solidaria que enfrentam um desalojo nestes próximos dias, compas um desalojo, outra ocupação!!! Aos compas das Okupas, na Gracia, à okupa Nadir, e CCF, compas seguimos! Às Bibliotecas Flecha Negra na Bolivia, Sacco e Vanzetti e Sebastian Oversluij no Chile, e a todos os espaços autogestionados na procura da anarquia.
Desde um novo espaço, aqui seguimos onde sempre estivemos: na procura da liberdade e contra toda autoridade!
Nos próximos dias difundiremos os horários e atividades da biblioteca. [Read More]